quinta-feira, 28 de maio de 2009

TRABALHO CULTURA SECREÇÃO VAGINAL.

Coleta de secreção Vaginal Bacterioscopia de Secreção Vaginal


Secreção Vaginal
Definições:

Secreção de uma substância pela vagina, pode variar em consistência (espessa, pastosa, fina), em cor (clara, turva, colorida) e em cheiro (normal, inodora, fétida).

Considerações gerais:

Algumas secreções vaginais são muito comuns em mulheres em idade fértil, normalmente as glândulas cervicais, produzem uma secreção mucosa clara que desce pela vagina, misturando-se com bactérias, células vaginais eliminadas e secreções da glândula de Bartholin. Estas substâncias podem (dependendo de quanta mucosa há) fazer com que a mucosa fique esbranquiçada e, quando exposta ao ar, a secreção fique amarelada.
Há períodos durante o ciclo menstrual, em que as glândulas cervicais produzem mais muco que em outros, dependendo da quantidade de estrógenos produzido (veja ciclo menstrual), isso é normal, a excitação sexual e o estresse emocional também são associados à secreção vaginal normal, está secreção é uma secreção clara, do tipo mucosa.
A secreção vaginal, pode indicar doenças quando a secreção for anormal em cor, odor ou consistência ou aumentar ou diminuir significativamente em volume.
Com muita frequência, quando uma secreção anormal é causada por uma doença sexualmente transmissível (DST), o parceiro sexual também deve ser tratado.

Causas comuns:

- Vaginite atrófica (comum em mulheres mais velhas)
- Vaginite não-específica
- Corpos estranhos (como um absorvente interno esquecido)
- Monília (secreção branca, cremosa causada por cândida), um tipo de infecção por levedura
- Tricomonas (secreção branca, espumosa e coceira intensa)
- Doença sexualmente transmissível (se a secreção for cremosa, com odor e sangue)
- Vaginose bacteriana
- Drogas (alguns antibióticos ou drogas que contenham estrógenos)
- Irradiação do trato reprodutivo
- Excitação sexual (secreção normal)
- Estress emocional (secreção normal)

Obs.: Esse problema pode ter outras causas, está lista não menciona todas as causas, nem as cita em ordem de probabilidade, as causas desse sintoma podem incluir doenças e medicamentos improváveis, além disso, as causas podem variar, dependendo da idade e sexo da pessoa afetada, assim como dos seguintes aspectos específicos dos sintomas: características, evolução, fatores agravantes, fatores atenuantes e queixas associadas.

Materiais usados para coleta de Secreção Vaginal:

- 2 laminas
- 2 Swab
- 1 Suporte de Lâmina
- 1 BHI
- Salina
- 1 espéculo (não usados em crianças, virgens e gestantes)
- Luvas
- Fitas de PH
- Lápis
- Tesoura

Quais os procedimentos para coleta de secreção vaginal?

  1. Chame a paciente pelo nome completo.
  2. Peça para paciente se deitar na maca.
  3. Arrume todo material.
  4. Identifique as lâminas com lápis (iniciais do nome e o número do protocolo da paciente).
  5. Calce as luvas e pergunte para a paciente se ela não teve relações sexuais e não urinou e nem se lavou durante a noite.
  6. Peça licença e introduza o espéculo.
  7. Com 1 Swab passe em volta do útero para pegar a secreção e coloca no tubo de BHI.
  8. Introduza novamente o outro Swab, passe nas duas laminas mais uma vez em um sentido unico.
  9. Guarde o Swab na Salina.
  10. Depois passe o SWAB na fitinha de Ph, verificando quanto foi a quantidade de acordo com as cores. Confira a fita e marque nas etiquetas (ou na OBS da paciente) o número do PH.
  11. Tire o Espéculo e jogue no lixo branco.
  12. Identifique a Salina o suporte de lamina e BHI.

É necessário anotar na OBS do paciente se houver alguma alteração como por exemplo mal cheiro, cor, vermelhidão entre outras.
Se for criança, virgem e gestante não pode usar espéculo.

Um comentário:

  1. Em que tipo de clinica ou laboratorio eu consigo marcar esse exame?
    Cristina/ Recife-Pe

    ResponderExcluir

Em comentar como coloque "Conta Google" para deixar seu email no comentário, ou coloque anônimo e escreva seu nome na mensagem.